Testes Canto Sereno
Anorexa, Torturada, Mas Vitoriosa Histórias reais #5

Sou Cristiane, fui portadora da tão temível depressão por longos 5 anos. Hoje tenho 29 anos. Eu comecei lutando contra mim mesma aos 12 anos quando tive anorexia e ninguém percebeu, pois eu sofria muito bullying e era agitada, então para minha família era um simples regime. Mas na verdade passava dias sem pôr algo na boca. Quando colocava me sentia culpada e gorda. Sempre me sabotei. Era muito inteligente e se usasse para o bem talvez teria evitado muitos erros no futuro. Mas eu não quis. Eu era completamente perturbada mentalmente e torturada pelos meus pensamentos que se uniam à força em que o mundo conspirava contra mim. As pessoas me perseguiam. E a vontade era cavar um buraco e me enterrar viva. Odiava tudo e todos. Todo mundo me fazia o mal. Foram anos de muitas idas a vindas em jogo. Corda no pescoço, cortes, queimaduras, facas, carro na BR [rodovia federal] indo contra mão, remédios, bebida, tratamento, psiquiatras… psicólogas… Não me lembro quantas… Por fim, procurei um novo caminho: a casa de Chico Xavier, onde encontrei respostas. Onde encontrei a luz. O fundo do poço que parecia não ter mais saída teve um grande amor: o amor…

Cuidada Pelo Filho de 10 Anos Histórias Reais #4

Possuo 32 anos. Eu tinha crises depressivas desde os 16 anos, com 2 tentativas de suicídio, até que há exatamente um ano, após o fim de um noivado, desencadeou a minha pior crise. Fui hospitalizada em hospital psiquiátrico por pensamentos suicidas, saí de lá no fundo do poço, mal escovava meus dentes e tomava banho. Só dormia o dia todo. Com o tempo, observava meu filho de 10 anos cuidando de mim. Ele pedia para que eu prometesse não chorar por pelo menos um dia. Isso me doía muito. Comecei a fazer terapia, acupuntura e a tomar medicamentos. Comecei a me tratar espiritualmente, focando em Deus. Ainda tentei suicídio por várias vezes depois da internação, sendo necessária uma nova internação. Aí sim, saí de lá decidida a não fazer mais isso. Porque eu via como isso afetava as pessoas que amo A luta é grande, constante, mas quando começar a se sentir mal, se apegue a algo ou a alguém. Tenha fé, porque a força está dentro da gente, só precisamos encontrá-la. Hoje em dia saio, brinco com meu filho, faço minhas atividades normais e estou aguardando liberação do INSS para retornar ao trabalho. Por: I. D. (identidade preservada) Você…

A Vitória Sobre o Desprezo Histórias Reais #3

Bom, eu me descobri depressiva em meados de 2015. Eu estudava o dia todo, pois estava tentando passar no vestibular para estudar medicina. Vivia sob uma pressão esmagadora. Sai de casa, uma cidade pequena na serra gaúcha, e me mudei para Porto Alegre, a capital. Estava longe dos meus pais e dos meus amigos, e não consegui fazer amigos no cursinho. Para piorar, meu ex namorado terminou comigo para ficar com uma outra menina, também da minha cidade. Foi aí que tudo desandou. Decai nos estudos, emagreci 20 kg, não comia, não saia da cama sequer para tomar banho. Perdi toda minha vitalidade. Como já bastasse, correram boatos na minha cidade a meu respeito dizendo que o motivo de eu ter emagrecido e estar do jeito que eu estava era porque eu estava usando drogas, tinha AIDS, entre outras coisas. Todo mundo me atacava na rua e me olhava torto. Foi aí que tentei suicídio e tentei inúmeras vezes. Meus pais me levaram a um psiquiatra e comecei meu tratamento, porém não obtive resultados com a medicação. Troquei de psiquiatra, outra frustração. Mais tentativas de suicídio. “Amigos” se distanciando de mim. Eu não me via mais nesse mundo. Última tentativa:…

Das Noites Para a Vida Histórias Reais #2

Eu fiz 10 anos de terapia… Em 1998 tive que ser internada por depressão. Comecei tomando Fluoxetina (na época, o famoso Prozac). Tive minha única filha em 2000, uma criança não desejada, pois eu não vivia com o pai dela. Passei minha gestação tomando antidepressivos e remédios para dormir, mas após o parto fiquei feliz com ela. Não desenvolvi a tal depressão pós parto, pelo contrário, gostei da ideia de ser mãe. Em 2002 conheci a Dra. J.(identidade preservada), psiquiatra que muitas vezes me “ressuscitou”. Não por falta de opção, me tornei prostituta. Larguei emprego para ter “vida fácil “. Pode parecer estranho considerando este mundo, mas nunca bebi, nunca me droguei ou me envolvi com vagabundos. Tive até grandes amores na noite… Um deles (por ironia do destino) era psiquiatra! Dr N. (identidade preservada), largou família para viver comigo! Eu me achava o máximo… Mas santo de casa não faz milagres. Larguei tudo por ele… Eu era possessiva e só queria “vida boa”. Minha doutora dizia que eu era bipolar enquanto ele dizia “não, tu tens depressão cronica”! Quando nos separamos, pensei que era meu fim… Voltei a me prostituir… Me relacionei depois com um engenheiro mecatrônico, 7 anos…

A Força Negativa do Bullying Histórias Reais #1

Bom, eu comecei a ter depressão com 11 anos. Apenas chegava em casa, deitava na cama, e passava o tempo lá chorando baixo para os meus pais não escutarem. Ficava implorando para que Deus finalmente me deixasse morrer… Sofri bullyng desde bem pequena. Com uns 6 anos de idade tive que ir ao hospital devido às “brincadeirinhas” de colegas, mas meus pais sempre ignoravam não importando com quantos hematomas eu chegasse em casa. Mas aí eu cresci e acabei mudando, parando de aceitar aquelas coisas. Fui começando a me abrir mais, mudei de escola, e toda esta parte do meu passado ficou para trás. Por: Luna Cibele Você também possui uma história de superação? Então envie-nos sua história!