Respirar Fundo é o Melhor Calmante

O cérebro é uma máquina incrível e, se usada em harmonia com o simples ato de respirar profundamente, pode tornar tudo mais leve.

Duvido muito que você já não tenha ouvido o conselho “respire fundo” diante de situações estressantes. A maioria daqueles que aconselham esta ação benéfica não possui um diploma de formação em Medicina, mas mesmo assim está certa: respirar fundo tem efeitos similares a de um remédio calmante.

Fomos programados para reagir primeiro e pensar depois. Não fazemos por mal, pois esta programação é responsável pela sobrevivência da humanidade até hoje. Serve-nos como um recurso para fuga rápida, irracional, buscando a todo custo o bem-estar do organismo.

Não convém entrar em termos técnicos aqui, mas a informação essencial é a seguinte: seu cérebro precisa de um certo tempo para refletir de forma racional sobre as situações. Podemos dizer que os estímulos externos “passam” primeiramente pelos setores responsáveis pela emoção em nosso cérebro para, só depois, chegar na parte que calcula racionalmente.

Respirar fundo fornece ao cérebro tempo para processar informações

Eis a grande importância do ato de respirar calmamente por, pelo menos, uns dois minutos, quando a situação complica. Neste pouco tempo para nós, mas valioso para o organismo, é permitido ao cérebro a organização das informações recebidas pelo ambiente.

A respiração mansa e controlada é um dos grandes segredos dos mais pacientes. Estes possuem grande autoconhecimento e sabem bem que, senão derem tempo a si mesmos, responderão agressivamente a tudo e a todos. Como dizia Sócrates, “conhece a ti mesmo“.

Diante de qualquer dificuldade, situação estressante ou momento confuso, respire fundo. Deixe esta maravilhosa máquina chamada cérebro processar as informações e lhe ajudar a proceder da melhor maneira possível.

Meus amados irmãos, tenham isto em mente: Sejam todos prontos para ouvir, tardios para falar e tardios para irar-se,
pois a ira do homem não produz a justiça de Deus.
Tiago 1:19,20

► Compartilhe:

Comentários

Nenhum Comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *